A ligação entre insuficiência cardíaca e outras doenças
 
insuficiência cardíaca: diabetes e pressão alta são fatores de risco

A ligação entre insuficiência cardíaca e outras doenças

By Catarina Arimateia

O coração saudável bombeia sangue em quantidade suficiente para suprir as necessidades do corpo. A insuficiência cardíaca (IC), como o nome indica, ocorre quando o coração se torna incapaz de cumprir sua missão plenamente.

Diabetes e pressão alta são fatores de risco comuns para o desenvolvimento da IC. Mas pode haver várias outras causas: doenças coronarianas, arritmias cardíacas (principalmente a fibrilação atrial, que faz com que o coração bata de forma irregular), defeitos congênitos, problemas com as válvulas cardíacas, doença de Chagas, febre reumática doenças da tireoide, HIV/AIDS, tratamento contra o câncer como radioterapia ou quimioterapia e abuso de álcool, cocaína e outras drogas1.

Doenças simultâneas

O I Registro Brasileiro de Insuficiência Cardíaca2, o Breath (Brazilian Registry of Acute Heart Failure), estudo realizado com 1.263 pacientes internados com quadro agudo da doença, mostrou que 70,8% tinham hipertensão arterial, 36,7% dislipidemia (nível alto de colesterol e triglicérides no sangue) e 34% diabetes.

Ou seja, quando a pessoa sofre de insuficiência cardíaca é comum ocorrer comorbidade, que é a existência de uma ou mais doenças simultaneamente. Para agravar a situação, a condição, em estágios mais avançados, também pode provocar outras complicações, como problemas renais ou anemia3. Também é importante lembrar que pessoas acima de 60 anos estão mais propensas a desenvolver a doença, conforme observações do Breath.

Um problema leva a outro

É fácil entender a ligação entre IC e determinadas enfermidades, como por exemplo, a insuficiência renal que é desencadeada principalmente pela falta de circulação sanguínea adequada para manter os rins saudáveis. Além desse fator, o paciente precisa ingerir pouco líquido e ainda usar diuréticos para reduzir a congestão pulmonar (acúmulo de sangue e líquidos nos pulmões), o que pode complicar ainda mais as funções renais, visto que a absorção de água é necessária para manter os rins em bom funcionamento.

A desnutrição e a anemia também podem ocorrer nos estágios mais avançados da insuficiência cardíaca. Um dos motivos se dá porque, nesse momento, é comum ocorrer perda de apetite e náuseas, segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), levando à baixa absorção de nutrientes. Também não é raro o aparecimento de problemas respiratórios, visto que uma das consequências da IC é o acúmulo de líquido nos pulmões.

Sinais de alerta

Preste atenção aos sinais, pois quanto antes for realizado o diagnóstico, mais fácil será administrar a doença. Entre os sintomas mais comuns estão falta de ar; inchaço nas pernas, nos tornozelos e nos pés; inchaço do abdômen; ganho de peso repentino, provocado pela retenção de líquido no corpo; e batimentos cardíacos rápidos ou irregulares. Tosse seca e frequente, tontura e dificuldade para dormir também estão entre os sintomas.

Sim, é possível controlar

Apesar de não existir cura, há tratamentos que podem manter a pessoa em um estado estável e com qualidade de vida. Para quem tem hábitos pouco saudáveis, entretanto, a mudança de estilo de vida é fundamental. Parar de fumar, controlar o peso, manter uma dieta equilibrada e com pouco sal, reduzir o consumo de gorduras e de álcool e fazer exercícios regularmente são os primeiros passos para manter a IC sob controle, além, claro, do uso de medicamentos receitados pelo médico. Em casos mais graves, pode haver a necessidade de implante de dispositivos cardíacos.

Manter o coração saudável depende de cada pessoa. Ao primeiro sinal das condições ou enfermidades que podem provocar a IC, ou da própria doença, é imprescindível seguir todas as recomendações médicas, mesmo aquelas que exijam grandes mudanças no estilo de vida, e fazer o tratamento rigorosamente.

Referências
1. Departamento de Insuficiência Cardíaca (DEIC) da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) http://departamentos.cardiol.br/sbc-deic/publico/entenda.asp
2. I Registro Brasileiro de Insuficiência Cardíaca (Breath) http://www.scielo.br/pdf/abc/2015nahead/pt_0066-782X-abc-20150031.pdf
3. Arquivos Brasileiros de Cardiologia. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0066-782X2009000900011