Siga correndo para a saúde do coração
 
A bicicleta é uma alternativa divertida para manter a saúde do coração

Siga correndo para a saúde do coração

By Adriana Marmo

Os exercícios físicos estão entre as principais recomendações dos médicos e especialistas para uma melhor qualidade de vida. Uma atividade praticada de maneira constante e regular tem um enorme potencial na prevenção e no tratamento de doenças do coração.

Já foi comprovado cientificamente1 que dedicar alguns minutos de seu dia para a prática de atividade física moderada pode melhorar a saúde do coração, além de beneficiar o metabolismo do organismo. Entre as práticas avaliadas pelos cientistas estão, corrida, atividades recreativas e deslocamentos feitos de modo ativo, como caminhar ou andar de bicicleta.

Isso prova que a atividade física pode se adaptar ao cotidiano de quem não tem tempo, recursos ou mesmo não gosta de frequentar academias. É possível mudar alguns pequenos hábitos diários e sentir os benefícios em pouco tempo. A primeira ideia é praticamente um "clássico" urbano: trocar o elevador pela escada. Ou saltar do ônibus um ou dois pontos antes do destino e seguir caminhando. Também dá para trocar o carro pelo transporte público ou, melhor ainda, pela bicicleta.

Os exercícios atuam não só na prevenção de doenças cardíacas como também no estado clínico dos pacientes, sendo um grande aliado da saúde.

Porém, antes de praticar qualquer exercício, tenha em mente a constância da atividade física escolhida, que deve também ser praticada por cerca de uma hora3. Dessa maneira, os exercícios podem atuar positivamente em vários fatores. Entre eles, o aumento do colesterol bom (o HDL), bem como a redução nas taxas de triglicérides, ambos fundamentais para proteger o coração4.

E mais: eles ajudam no controle da hipertensão, do diabetes e da obesidade, além de liberar a serotonina e outros hormônios diretamente relacionados ao bem-estar emocional.

Para um bom começo

  • Para garantir sua segurança, o primeiro passo é consultar o cardiologista. Ele vai pedir exames específicos e, a partir dos resultados, indicar qual a frequência e a carga da atividade recomendada.

  • É importante escolher uma prática que você goste. Só assim é possível manter a frequência da atividade.

  • Caminhada, natação, corrida e bicicleta são sempre recomendados por serem exercícios completos. Mas você pode pensar em dança, artes marciais, musculação, pilates e ioga.

  • Procure conhecer os grupos de corrida de rua ou de passeios de bicicleta (os chamados "pedais urbanos") na sua cidade. Em algumas regiões, existem grupos de pessoas ou instituições que promovem atividades gratuitas ao ar livre, entre elas, funcional, caminhadas e ioga. A socialização é um ótimo estímulo para praticar uma atividade física.

  • O ideal é exercitar-se pelo menos 30 minutos todos os dias. Comece aos poucos e vá aumentando gradativamente. É importante manter a frequência para não virar um "atleta de fim de semana".

  • Um exemplo: comece caminhando por 15 minutos e vá aumentando aos poucos com o objetivo de chegar a uma hora diária de caminhada em ritmo moderado. Com o tempo isso pode virar um trote e depois corrida!

Referências

1. The Lancet https://www.thelancet.com/journals/lancet/article/PIIS0140-6736(17)31634-3/fulltext

2 Jornal da USP https://jornal.usp.br/ciencias/ciencias-da-saude/pesquisa-revela-como-o-exercicio-fisico-protege-o-coracao/

3 American Heart Association https://www.heart.org/en/healthy-living/fitness/fitness-basics/aha-recs-for-physical-activity-in-adults

4 Harvard Health Publishing https://www.health.harvard.edu/heart-health/the-many-ways-exercise-helps-your-heart

Os exercícios físicos estão entre as principais recomendações dos médicos e especialistas para uma melhor qualidade de vida. Uma atividade praticada de maneira constante e regular tem um enorme potencial na prevenção e no tratamento de doenças do coração.
Já foi comprovado cientificamente1 que dedicar alguns minutos de seu dia para a prática de atividade física moderada pode melhorar a saúde do coração, além de beneficiar o metabolismo do organismo. Entre as práticas avaliadas pelos cientistas estão, corrida, atividades recreativas e deslocamentos feitos de modo ativo, como caminhar ou andar de bicicleta.
Isso prova que a atividade física pode se adaptar ao cotidiano de quem não tem tempo, recursos ou mesmo não gosta de frequentar academias. É possível mudar alguns pequenos hábitos diários e sentir os benefícios em pouco tempo. A primeira ideia é praticamente um "clássico" urbano: trocar o elevador pela escada. Ou saltar do ônibus um ou dois pontos antes do destino e seguir caminhando. Também dá para trocar o carro pelo transporte público ou, melhor ainda, pela bicicleta.
Os exercícios atuam não só na prevenção de doenças cardíacas como também no estado clínico dos pacientes, sendo um grande aliado da saúde.
Porém, antes de praticar qualquer exercício, tenha em mente a constância da atividade física escolhida, que deve também ser praticada por cerca de uma hora3. Dessa maneira, os exercícios podem atuar positivamente em vários fatores. Entre eles, o aumento do colesterol bom (o HDL), bem como a redução nas taxas de triglicérides, ambos fundamentais para proteger o coração4.
E mais: eles ajudam no controle da hipertensão, do diabetes e da obesidade, além de liberar a serotonina e outros hormônios diretamente relacionados ao bem-estar emocional.