Hidratação e nutrição para alta perfomance
 
Nutrição e hidratação adequada para exercícios de alta performance.

Hidratação e nutrição para alta perfomance

By Catarina Arimateia

Quem não está acostumado a correr pode ter pela frente de 2 a 3 anos de treino persistente até enfrentar sua primeira maratona. Os corredores de fim de semana levam de 1 a 2 anos para alcançar o nível ideal. Quem já corre regularmente e é capaz de fazer 20 km em duas horas, por exemplo, pode levar cerca de 6 meses. "Tudo vai depender da condição inicial da pessoa, do tempo que ela dispõe para se preparar e da vontade de se superar", diz o educador físico Carlos Eduardo, o Dado, CEO da empresa de consultoria Labor Fit.

O ideal é treinar de 5 a 6 vezes por semana, por volta de 2 horas por dia. "A pessoa deve deixar reservados, no mínimo, 4 dias por semana para os treinos", diz o preparador físico Sérgio Barbosa, formado em educação física e atleta que já participou de sete maratonas. Ele é o preparador dos colaboradores da Abbott que participaram da Maratona de Chicago nos últimos dois anos.

Primeiros passos

Se tempo para treinar não é problema, chegou a hora de planejar os próximos meses. É importante contratar um profissional habilitado, de preferência educador físico, que tenha conhecimento suficiente para desenvolver uma planilha de treinamento.

Porém, a autorização médica é imprescindível para começar a treinar. O primeiro profissional a ser consultado é o cardiologista, que deverá fazer uma avaliação detalhada da condição cardíaca do futuro maratonista. Os exames clínicos e laboratoriais, por sua vez, dão um painel geral da saúde.

Para completar o quadro, deverá ser realizada uma avaliação física, incluindo a biomecânica, que analisa os movimentos do corpo durante uma determinada função, a corrida, por exemplo.

Dieta saudável

Um nutricionista irá avaliar a massa muscular, medir o percentual de gordura do corpo e analisar a hidratação. Tendo como base essas referências, o profissional consegue montar um plano alimentar.

Início dos treinos

Com a saúde e a alimentação em dia, o sinal está verde para o preparador físico entrar em ação. "Nesse momento, cuidamos de dois cenários. A parte cardiorrespiratória, para ver se o coração está treinado, se o batimento cardíaco não está muito acelerado, ou se o órgão tem eficiência para empurrar o sangue com oxigênio para a musculatura. Também avaliamos se a musculatura é capaz de usar a energia que recebe", explica Sérgio.

Com essas informações em mãos, o preparador saberá como treinar cada pessoa de acordo com sua condição física. Devem ser priorizados os exercícios aeróbicos, que aumentam o rendimento cardiorrespiratório; e a musculação, para fortalecer os músculos, que sustentaram o peso do corpo durante a maratona.

Hidratação sempre

A boa hidratação é elemento-chave para a performance, seja durante os treinos ou no dia da maratona. Para auxiliar o atleta, há suplementos que fornecem hidratação rápida e eficaz, como o Pedialyte® Pro, com balanço ideal de água, glicose e sais minerais, e que pode ser utilizado tanto no período de treinamento quanto no dia da competição.

A hidratação correta e a nutrição para maratona continuam no dia da competição. "Durante a prova, recomendamos que os corredores se hidratem a cada 40 minutos", informa a nutricionista Júlia Bargieri. Há postos de hidratação ao longo de todo o percurso.

Em relação ao Pedialyte® Pro, a indicação é tomar antes, durante e depois das provas ou exercícios. Na Maratona de Chicago, como não é possível utilizá-lo durante a competição, orientamos os colaboradores que competiram pela Abbott para consumir metade da garrafinha de 500 ml na noite anterior à prova, a outra metade na manhã antes da maratona e um frasco inteiro no final.

Energia na medida

A nutrição para maratona também é fator importante nos dias que antecedem a prova. "Não dá para comer feijoada no dia anterior", diz o CEO da Labor Fit. Também não é recomendado alimentos condimentados, pois poderão mexer com o bom funcionamento do intestino.

Antes da largada, os corredores costumam ingerir bastante carboidrato, principal fonte de energia de longa duração. Macarrão, grãos e batatas são bem-vindos. Durante a maratona, também é possível consumir gel de carboidrato a cada 40 minutos. O atleta deve administrar a energia ao longo do caminho.

Depois da maratona

Na volta para casa, a ordem é pisar no freio. "Quem não é atleta profissional tem grande desgaste durante a prova, tanto da parte cardiorrespiratória quanto da neuromuscular, o que inclui músculos e articulações. O ideal, depois da maratona, é a pessoa passar por um período de transição e ficar pelo menos 15 dias sem fazer uma atividade física específica. Pode nadar ou pedalar levemente. Porém, deve evitar a corrida", alerta Sérgio.