Diabetes tipo 1 e tipo 2: conheça as diferenças
 
Diabetes tipo 1 e tipo 2: conheça as diferenças

Diabetes tipo 1 e tipo 2: conheça as diferenças

By Maryssa Caetano

Muitas vezes, saber como prevenir o diabetes tipo 2, fazendo boas escolhas de estilo de vida, é suficiente para prevenir. Mas não é possível evitar o diabetes tipo 1. Por isso, é fundamental aprender os cuidados para o melhor controle e para manter saudáveis os níveis de glicose no sangue.

Em 2017, uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde constatou que cerca de 7,6% dos brasileiros com 18 anos ou mais foram diagnosticados com diabetes1. Embora isso represente uma redução percentual de quase 1,5% em relação a 2016, significa que quase 16 milhões de pessoas vivem com a doença no país.

Por isso, é bom informar-se sobre diabetes e entender melhor sobre as diferenças entre os dois tipos.

Diabetes tipo 1

Ter um dos pais ou irmãos com diabetes do tipo 1 é um indicativo de risco, mesmo que você não tenha quaisquer sinais ou sintomas da doença. Não há forma de prevenir esse tipo de diabetes, pois é resultado de uma destruição autoimune que ocorre no organismo2.

A insulina é o hormônio que metaboliza a glicose no organismo. No diabetes do tipo 1, o corpo começa a atacar as células do pâncreas que produzem insulina, eliminando sua capacidade de produção. Após o diagnóstico, as pessoas com diabetes tipo 1 devem tomar insulina, podendo precisar de várias injeções por dia ou usar um dispositivo de infusão de insulina.

Episódios de hipoglicemia (quando o açúcar do sangue fica muito baixo) também são mais comuns em casos de diabetes tipo 1. O quadro de hipoglicemia pode progredir bem rápido e deve ser tratado imediatamente. Há meios para elevar o açúcar no sangue3 a um nível seguro, consumindo uma bebida adocicada (não diet), mel ou doces. Outra maneira de fazer isso é injetar o hormônio glucagon. Nesse caso, membros da família da pessoa com diabetes tipo 1 devem saber como e quando administrar a substância.

Diabetes tipo 2

O diabetes tipo 2 é mais comum e afeta cerca de 90% das pessoas com diabetes no Brasil4. É uma doença que se desenvolve ao longo do tempo e pode ser prevenida com a adoção de um estilo de vida saudável. Isso inclui ter uma alimentação balanceada, praticar exercícios com regularidade, evitando o sedentarismo e a obesidade.

No diabetes tipo 2, as células do corpo não são tão sensíveis à insulina. Desse modo, o pâncreas tem que produzir mais insulina para controlar os níveis de açúcar no sangue. Isso se chama resistência à insulina. Os níveis elevados de açúcar no sangue levam a complicações como a neuropatia diabética, danos aos vasos sanguíneos, doença renal e problemas na retina (nos olhos)5.

Episódios de hipoglicemia também atingem quem tem diabetes tipo 2. Eles podem ser causados por alguns tipos de medicamentos para diabetes, por tomar insulina em excesso ou não comer alimentos corretos na quantidade suficiente.

Mantendo ambas sob controle

Em casos de diabetes tipo 1 e tipo 2, as ferramentas disponíveis para controlar a glicose no sangue incluem, dieta balanceada, exercícios e medicamentos, bem como o monitoramento do diabetes, por meio de uma pequena perfuração no dedo para coleta do sangue: a famosa picadinha, ou por meio de um sensor que faz o monitoramento contínuo da glicose, gerando resultados em tempo real. Nesse quesito, a Abbott já disponibilizou no Brasil a tecnologia do FreeStyle Libre, uma revolução no monitoramento do diabetes, garantindo um controle muito mais seguro ao longo do dia. E sem furar os dedos*!

 

*Há três circunstâncias nas quais o teste de ponta de dedo é necessário: a) Durante períodos de rápida alteração nos níveis da glicose (a glicose do fluido intersticial pode não refletir com precisão o nível da glicose no sangue); b) Para confirmar uma hipoglicemia ou uma iminente hipoglicemia registrada pelo sensor; c) Quando os sintomas não corresponderem às leituras do sistema flash de monitoramento da glicose.
FS Libre Leitor - RMS ANVISA: 80146501903 FS Libre Sensor - RMS ANVISA: 80146502021
ANATEL: 4072-14-9992 - FS LibreLink - RMS ANVISA: 80146502168.

Referências

  1. Ministério da Saúde http://portalms.saude.gov.br/vigilancia-em-saude/indicadores-de-saude/vigilancia-de-fatores-de-risco-e-protecao-para-doencas-cronicas-por-inquerito-telefonico-vigitel
  2. Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia https://www.endocrino.org.br/o-que-e-diabetes/
  3. Sociedade Brasileira de Diabetes https://www.diabetes.org.br/publico/diabetes/hipoglicemia
  4. Sociedade Brasileira de Diabetes https://www.diabetes.org.br/publico/diabetes/tipos-de-diabetes
  5. Sociedade Brasileira de Diabetes https://www.diabetes.org.br/publico/complicacoes/complicacoes-do-diabetes