Eduardo Ishikawa: do Brasil para uma das provas da Abbott World Marathon Majors
 
Eduardo Ishikawa na meia-maratona Seven Run 2017, em São Paulo.

Eduardo Ishikawa: do Brasil para uma das provas da Abbott World Marathon Majors

Por Catarina Arimateia
Veja como um dos colaboradores da Abbott Brasil está se preparando para correr em uma das provas da Abbott World Marathon Majors

Para Eduardo Yudi Miola Yshikawa, 36 anos, o esporte está no sangue. Seus avós, desde a década de 70, já participavam de provas de atletismo em competições de veteranos. Ele mesmo, Eduardo, é faixa preta em judô e sempre soube que atividade física e saúde estão intimamente ligadas. No dia 8 de outubro, ele será um dos corredores da Maratona de Chicago de 2017, uma das provas da Abbott World Marathon Majors, que também inclui as maratonas de Tóquio, Boston, Londres, Berlim e Nova Iorque.

Eduardo mora em São Paulo (SP) e é analista do Programa de Relacionamento com o Cliente da Divisão de Farmacêuticos Estabelecidos da Abbott. Começou a correr em 2000, depois de um período em que deixou de praticar esportes para se dedicar ao trabalho e ao estudo. O corpo, acostumado aos vigorosos movimentos do judô, sentia falta de atividade física. Mas ele escolheu a corrida por questões práticas. "Quando era possível, eu pegava o tênis e ia correr. Pensava assim: 'Vou correr hoje, o sol está maravilhoso, tenho tempo e quero dar uma espairecida'. Não havia aquela rotina rígida de horário nem regras de treino. A corrida é um esporte bem livre", diz ele.

Nos últimos três anos, sua dedicação à corrida começou a ficar mais séria, levando-o a treinar com uma assessoria especializada. Uma decisão importante: durante muito tempo, sua postura nas corridas era completamente equivocada e os especialistas puderam detectar com precisão quais eram as falhas. Um dos erros de postura, diz ele, foi em relação às passadas. "Nós corremos naturalmente, como andamos, mas na corrida não é bem assim", alerta. "Existe um posicionamento certo para o corpo, para que você corra de maneira mais eficiente e evite se machucar".

Outro aspecto bastante positivo de ter orientadores é o planejamento dos treinos. Com a assessoria, Eduardo começou a praticar outras atividades físicas, como musculação e natação, com o objetivo de melhorar o condicionamento para conseguir participar de provas mais longas.

Primeira maratona

O esforço foi recompensado. Depois de correr em seis meias-maratonas, Eduardo prepara-se para embarcar para os Estados Unidos. Em Chicago, vai encarar sua primeira maratona: nada menos que 42 km e 195 m de extensão. O processo para chegar a uma das provas da Abbott World Marathon Majors foi longo – afinal, já são 17 anos de corrida. Mas conquistar uma das vagas para Chicago até que foi rápido.

"Quando a Abbott abriu este programa, eu me inscrevi, e aí houve a meia-maratona com alguns objetivos a serem cumpridos, entre eles fazer a prova em menos de 2 horas. Acabei terminando em 1 hora e 46 minutos e, com isso, conquistei o direito de concorrer ao sorteio de uma das duas vagas para ir a Chicago", conta. A outra vaga ficou com Fábbio Vinicius Silva, representante de Promoção de Vendas da Divisão de Farmacêuticos Estabelecidos em Goiânia (GO).

É a primeira vez que Eduardo fará uma prova fora do Brasil. "Minha expectativa é bem alta. Por mais que eu tenha tempo de corrida, os 42 km são desafiadores. Mas curtir o momento também é importante", afirma. Sua intenção é fazer todo o percurso em menos de quatro horas. E ele já sabe em quem vai pensar na hora em que estiver dando suas rápidas passadas em solo americano: na primeira filha, Isabela, que deverá nascer por volta de 13 de outubro. "Isabela vai ser a minha força", diz.

Mas, por enquanto, a preocupação de Eduardo está voltada aos treinos diários. Com a aproximação do dia da corrida, eles se intensificaram, e há apenas um ou dois descansos por semana. A alimentação também teve pequenas variações, mas nada que o maratonista não tire de letra.

Alimentação (quase) sem restrição

Adepto de pratos saudáveis, Eduardo não sofreu muito com restrições alimentares. O único problema foi abandonar uma paixão. "Sou viciado em refrigerante, mas desde o início da preparação para a maratona estou evitando tomar", revela. Fora isso, sua mesa é farta. "Eu me policio para comer um pouco de tudo. O meu café da manhã tem pão, que é fonte de carboidrato, e também leite e um copo de suco. Faço complemento com suplementação, tudo sob orientação. Tenho nutricionista acompanhando o meu cardápio".

O almoço é bem tradicional: arroz, feijão, carne, alface, tomate. Quando tem massa, Eduardo opta por ela. "Como estamos em uma fase de treinamento em que o gasto calórico é alto, estou liberado para comer o que quiser. Mas evito doces".

Se, para Eduardo, a alimentação não é problema, cumprir os horários de treinamento nem sempre é fácil. Mesmo porque ele acorda muito cedo, dependendo do dia começa a treinar às 5 horas da manhã. Ou, quando acorda às 5h, inicia o treino às 6 horas. Às 22h, 22h30, já está na cama.

Duro mesmo foi enfrentar o frio paulistano nas manhãs de julho e agosto. Nos dias mais gelados, o jeito foi optar por fazer o treino na academia, com bicicleta estacionária, esteira e, vez ou outra, musculação.

Sono bom e nada de gripe

Pequenos sacrifícios à parte, a corrida só tem trazido alegrias para Eduardo. Os benefícios são muitos. "A corrida melhora bastante a disposição, não só a física, mas a mental também. Além disso, influencia bastante na qualidade do sono. Você passa a dormir bem melhor e a resistência física se torna maior. Hoje em dia é muito mais difícil eu pegar uma gripe", diz.

Para os futuros corredores, ele dá dois conselhos: o primeiro é respeitar a condição física. "É importante começar com tempos menores, ir progredindo aos poucos e nunca se comparar com outra pessoa. A comparação é com você mesmo", comenta. A outra dica é contar com a orientação de um profissional, principalmente em relação à postura na hora de correr.

No mais, é só colocar o tênis e seguir em frente. Afinal, atividade física e saúde devem estar sempre entre as prioridades de quem busca qualidade de vida e bem-estar.