A hepatite C está nos testando. Não iremos falhar.
 
Saiba a importância do diagnóstico da hepatite C

A hepatite C está nos testando. Não iremos falhar.

POR A. TRENT

Você deve saber que a hepatite C (HCV) é uma doença grave que afeta o fígado e pode levar ao câncer no órgão. Mas você sabia que a maioria das pessoas com hepatite C não sabem que estão infectadas?

Cerca de 80% das pessoas com infecção aguda por hepatite não têm nenhum sintoma1, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), embora a maioria delas possa desenvolver, futuramente, hepatite C crônica.

Visto que muitas das pessoas que vivem com o vírus apresentam poucos sinais de infecção, a doença pode, muitas vezes, passar desapercebida por décadas, até que o fígado sofra danos permanentes.

Mas como você pode detectar um vírus que raramente apresenta sintomas? Tudo começa com ferramentas de diagnósticos que identificam a doença em seu estágio inicial.

Combatendo uma doença silenciosa

A hepatite C é muito mais comum do que a maioria das pessoas imagina. Aproximadamente 71 milhões de pessoas no mundo todo2, segundo a OMS, estão infectadas cronicamente. Uma parcela significativa dessas pode desenvolver lesões hepáticas crônicas (também conhecidas como cirrose) ou potencialmente um câncer de fígado.

Mas há formas de combater a doença:

  • Existem testes disponíveis para diagnosticar a infecção pelo vírus da  hepatite C em seu estágio inicial, antes de afetar o corpo e ser transmitido inadvertidamente.
  • Medicamentos antivirais podem curar mais de 95% das pessoas com hepatite C3, segundo a OMS, reduzindo os riscos de saúde associados.
  • A OMS definiu uma meta, em maio de 2016, para eliminar a hepatite C e o vírus da Hepatite B  como problema de saúde pública até 2030, por meio do aumento de acesso a testes e tratamentos.

Como alcançar a meta da OMS e eliminar a hepatite C até 2030 no mundo?

A eliminação da hepatite C pode ser possível resolvendo-se algumas barreiras:

  • Oportunidade: nem todos os pacientes ou comunidades têm acesso aos testes necessários.
  • Diagnósticos incompletos: algumas pessoas que apresentam resultado positivo para hepatite C não recebem o acompanhamento necessário.
  • Tratamento: em 2015, desses 71 milhões de pessoas vivendo com infecção crônica por hepatite C no mundo inteiro, apenas 1,1 milhão4 iniciou o tratamento imediatamente, de acordo com a OMS.

"Estamos constantemente buscando novas formas de ajudar a melhorar os testes disponíveis para diagnosticar pessoas que vivem com hepatite C. Parte desse processo, envolve o estudo das barreiras de acesso a testes, o que dificulta a eliminação dessa grave doença", afirma Gavin Cloherty, Ph.D., Diretor de Pesquisa de Doenças Infecciosas da Divisão de Diagnósticos da Abbott.

O arsenal de ferramentas diagnósticas da Abbott para eliminar a hepatite C

A análise para identificar a hepatite C acontece em duas etapas5, de acordo com a OMS. A primeira é o teste para diagnosticar anticorpos anti-HCV produzidos após a infecção de uma pessoa. Se esse teste for positivo, a segunda etapa é confirmar se há uma infecção ativa, com testes diagnósticos, como o antígeno do HCV ou RNA-HCV, que é responsável pela síntese de proteínas da célula.

A identificação e tratamento da hepatite C podem exigir diversos testes diagnósticos. Em nosso compromisso de ajudar a eliminar o HCV, a Abbott tem realizado grandes avanços com os diagnósticos de HCV em todos os estágios de teste. Confira abaixo:

  • Avaliação: detecta uma infecção por HCV.
  • Confirmação: confirma infecções ativas por HCV.
  • Genotipagem: orienta a seleção de tratamentos adequados.
  • Monitoramento: monitora a resposta ao tratamento de HCV.
  • Software: ajuda os profissionais da saúde a decidir as próximas etapas, com base nas últimas diretrizes de teste ou resultados de teste.

A meta de eliminação do HCV: o que você precisa saber

O primeiro passo na luta contra o HCV é o conhecimento da sua situação. Pergunte ao seu médico se o teste de HCV é adequado para você. Com a detecção precoce e os tratamentos adequados, é possível alcançar a meta da OMS e eliminar novas infecções por HCV até 2030.

"As informações são fornecidas para fins informativos somente e não substitituem  a orientação de médico ou outro profissional de saúde. Você não deve utilizar a informação contida aqui para diagnosticar um problema de saúde  ou doença. Você deve sempre consultar um médico ou outro profissional de saúde."

Referências:

1, 2 e 3 – Organização Mundial de Saúde - http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs164/en/

4 – Organização Mundial de Saúde - http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2017/global-hepatitis-report/en/

5 – Organização Mundial de Saúde - http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs164/en/