Pressão alta: a inimiga oculta
 
Cuidar da pressão é cuidar do coração

Pressão alta: a inimiga oculta

By Tânia Nogueira

Cerca de 25% dos brasileiros adultos têm pressão alta, ou hipertensão1. Mas muitos não se dão conta disso, porque a doença não costuma apresentar sintomas muito evidentes e frequentemente é chamada de "inimiga oculta". Pelo fato de passar despercebida, apenas entre 10% a 20% da população afetada seguem o tratamento necessário, segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão2. Os outros 80% ou 90% não tomam qualquer providência.

Esses dados são preocupantes principalmente porque controlar a pressão arterial é muito importante para manter um coração saudável. A cada ano, a hipertensão provoca 7,6 milhões de mortes no mundo, sendo 80% delas em países de baixo e médio desenvolvimento econômico, como o Brasil3. A maioria das mortes acontece por problemas cardiovasculares, com destaque para infartos e acidentes vasculares. Há também um grande número de mortes de pacientes renais crônicos, outro problema que costuma ser causado pela hipertensão.

O diagnóstico da hipertensão, porém, é muito simples. Basta medir a pressão regularmente e, se ela estiver acima de 12 por 8, começar a se cuidar. Na maioria das vezes, o tratamento também não é complicado, apenas mudar alguns hábitos é o suficiente para manter a pressão sob controle.

O que é pressão alta?

Quando você abre uma torneira e a água sai com muita força, é porque ela está com muita pressão, certo? Com o sangue também é assim: ele é bombeado pelo coração e, quando exerce pressão mais intensa do que o normal nas paredes das artérias, está configurado o quadro de hipertensão.

Mas o que é estar com a pressão acima do normal? Quando um médico mede a pressão, fala sempre dois números: "Parabéns, está 12 por 8", por exemplo. Este número mais alto (12) mede a contração cardíaca (sístole) para empurrar o sangue para fora do coração. O mais baixo (8) mede o relaxamento do músculo cardíaco (diástole) após a contração. A pressão medida em 12 por 8 é considerada normal. Se está acima disso, é imprescindível tomar providências e fazer mudanças no estilo de vida.

Por que a pressão sobe?

Vários fatores podem causar a pressão alta. Um dos mais comuns é o acúmulo de colesterol nas paredes das artérias, que diminui o espaço por onde o sangue passa. Consequentemente, o coração precisa imprimir mais pressão para que o sangue chegue onde tem de chegar. Por isso, bate com mais força e pode até sofrer uma lesão (infarto). As paredes de vasos, veias e artérias também ficam sobre maior pressão e podem se romper (acidente vascular). É muito comum que isso aconteça com os vasos do cérebro (AVC).

A hipertensão costuma estar associada ao histórico familiar, mas o sobrepeso e a obesidade podem acelerar até 10 anos o seu surgimento. Segundo estudos da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, pessoas obesas, mesmo que não tenham colesterol alto, são mais sujeitas à hipertensão4. O consumo exagerado de sal, de gorduras saturadas e carboidratos de rápida absorção também colaboram para o surgimento da hipertensão.

A pressão alta costuma agir silenciosamente, sem que a pessoa perceba qualquer sintoma. Algumas vezes, porém, quando já está bastante elevada, a pessoa pode sentir tonturas, falta de ar, ter palpitações, dor de cabeça frequente e alguma alteração na visão. De qualquer forma, é importante medir sua pressão com frequência, especialmente se está nesse grupo de maior risco: tem alguém na família com histórico de hipertensão, não pratica exercícios, fuma ou está acima do peso.

O que fazer?

Em alguns casos, a elevação da pressão se dá por causas pontuais, como o alcoolismo ou a ingestão de determinados tipos de medicamentos. É a chamada hipertensão secundária. Nesses casos, o ideal é procurar um médico para sanar a causa e, assim, fazer com que a pressão volte ao normal.

Na maior parte das vezes, porém, a hipertensão não tem cura, mas pode ser controlada. É importante seguir as orientações do seu médico, além de adquirir hábitos saudáveis para manter a pressão dentro de níveis aceitáveis. Algumas regras básicas: emagrecer, parar de fumar, reduzir bastante o consumo de álcool, praticar exercícios, manter uma dieta balanceada, controlar o consumo de sal, evitar carnes vermelhas e gordurosas, passar longe de alimentos embutidos e enlatados, comer frutas, legumes e grãos integrais.

Experimente! Não só sua pressão voltará ao normal como você irá sentir-se muito melhor e com muito mais disposição.

Referências
1. Sociedade Brasileira de Hipertensão http://www.sbh.org.br/geral/oque-e-hipertensao.asp
2. Sociedade Brasileira de Hipertensão http://www.sbh.org.br/geral/releases.asp?id=455
3. Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia http://departamentos.cardiol.br/dha/informativo/campanha12por8.asp
4. Harvard Health Publising - Harvard Medical School https://www.health.harvard.edu/heart-health/fat-but-fit-still-face-higher-heart-disease-risk