Seis dicas para você cuidar melhor do seu coração
 

Seis dicas para você cuidar melhor do seu coração

As doenças que afetam a saúde do coração estão entre as principais causas de mortes no mundo todo. No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde, elas são responsáveis por 30% dos óbitos, todo ano, ano por conta de complicações cardiovasculares.

Pense em diabetes, obesidade e pressão alta. Os fatores genéticos e o estilo de vida têm tudo a ver com essas estatísticas. E isso significa que cuidar da sua saúde pode fazer toda a diferença quando o assunto for coração.

A Dra. Jones-McMeans separou seis dicas que vão ajudar você a olhar mais para o seu coração. Ela é a Diretora dos Programas Clínicos e da Ciência Clínica Endovascular da Divisão Vascular da Abbott e estudou a ligação entre genética, exercício e pressão arterial elevada.

 

1.     Movimente-se. * Incluir atividades aeróbicas na sua rotina é uma das formas mais eficientes de cuidar do coração. E você não precisa de uma academia cara ou de uma bicicleta moderna para isso. Você pode pular corda; correr na rua; caminhar até o trabalho ou subir as escadas do escritório. Não é tão difícil assim. A Organização Mundial da Saúde recomenda fazer entre 75 e 150 minutos de atividades moderadas por semana. Divididos pelos 7 dias, você vai ver que é possível. O coração é um músculo que precisa trabalhar e exercitar-se é fundamental: ajuda no controle da pressão arterial, no peso e nos níveis de colesterol.

2.     Na hora de comer, pense no seu coração. Antes de pedir uma pizza e terminar na sobremesa, em uma segunda-feira qualquer, pense na sua saúde. Sair da dieta não é um grande problema, mas no dia a dia, prefira refeições que limitem as gorduras trans, saturada, colesterol e sódio. E aumente a ingestão de gorduras vegetais como óleo de canola, abacate e ômega 3 presente em peixes como atum e salmão. Alimentos ricos em potássio, como laranja, banana e tomate, também ajudam a segurar a pressão arterial. Faça algumas trocas simples: prefira batata doce à batata branca, iogurte com baixo teor de gordura ao creme de leite e aumente a ingestão de vitaminas e nutrientes.

3.     Cuide da sua pressão arterial. Hipertensão é um assunto importante. Se não for tratada, pressão arterial elevada pode trazer problemas sérios, como acidente vascular cerebral e insuficiência cardíaca. Por isso, comece a se cuidar já! Inclua atividades físicas na sua rotina. Pode ser de forma gradual, mas é importante começar. Melhore também a sua dieta: escolher alimentos saudáveis, assim como perder peso, ajuda a controlar a pressão. Se tiver dúvidas sobre que exercício fazer, frequência e intensidade ou o que comer, converse com um médico ou nutricionista. Eles podem indicar a dieta certa que vai funcionar com você.  

4.     Vigie o seu índice glicêmico. Lidar com açúcar e alimentos ricos em carboidratos é fundamental na luta contra a cardiopatia. Diabéticos podem até dobrar o risco de ataque cardíaco ou AVC (Acidente Vascular Cerebral). Por isso, é muito importante ficar atento ao índice glicêmico. Segundo o Instituto Nacional de Diabetes e Doenças Renais e Digestivas, nos EUA, ao longo dos anos, glicemia alta pode danificar nervos, vasos sanguíneos e aumentar as chances de desenvolver problemas no coração. Por isso, controlar a ingestão de alimentos ricos em carboidratos e ficar de olho no tamanho das porções é essencial para controlar o risco de diabetes. Mais informações podem ser encontradas no site da Sociedade Brasileira de Diabetes.

5.     Conheça os seus números e seu histórico familiar. Você sabe como anda a sua pressão, o seu colesterol ou os seus níveis de glicemia? E quanto à sua frequência cardíaca, índice de massa corporal e peso? É difícil mudar o que você não sabe. Então, acompanhe os seus números, medidas e faça visitas periódicas ao médico. Você também vai querer conhecer seu histórico familiar. Informe-se e trabalhe sempre em cima da prevenção.

6.    Mantenha o estresse sob controle.* O dia a dia pode ser estressante, mas encontrar formas de se distrair é essencial para o nosso bem-estar. Estresse crônico pode, inclusive, influenciar comportamentos de risco como tabagismo, alcoolismo e maus hábitos alimentares, assim como causar alterações no exame de sangue e no sistema nervoso. Mais uma vez, incluir atividades físicas na sua rotina é uma boa pedida. Ao liberar dopamina, o exercício traz sensação de bem-estar e ajuda a combater o estresse. Sempre busque tempo para se dedicar a atividades prazerosas, do tricô à meditação, não importa, o que vale é relaxar.

*Nem todos os exercícios são adequados para todos. Antes de se envolver em qualquer atividade física, consulte seu profissional de saúde sobre a quantidade e o tipo de atividade física certa para você.

As informações são fornecidas para fins informativos somente e não substitituem  a orientação de médico ou outro profissional de saúde. Você não deve utilizar a informação contida aqui para diagnosticar um problema de saúde  ou doença. Você deve sempre consultar um médico ou outro profissional de saúde.