TENHA UMA BOA SAÚDE COM SEU CORPO, COMO ELE É
 
Ser magro nem sempre é sinônimo de saúde. Você pode ter uma boa saúde, independentemente do tamanho de sua cintura.

TENHA UMA BOA SAÚDE COM SEU CORPO, COMO ELE É

Ser magro nem sempre é sinônimo de saúde. Você pode ter uma boa saúde, independentemente do tamanho de sua cintura.

Todos temos aquele amigo que pode comer cheeseburgers duplos e batatas fritas com frequência e nunca ganha peso. E talvez você seja esse amigo.... Algumas pessoas simplesmente nascem magras e saudáveis, certo? Errado. 

Ser magro nem sempre é sinônimo de ser saudável, diz o Dr. Krishna Sudhir, cardiologista e Vice-Presidente da Divisão Vascular da Abbott. Pessoas magras ainda podem enfrentar riscos de saúde caso tomem más decisões quanto ao estilo de vida. Abaixo, Sudhir esclarece falsos conceitos a respeito do tipo físico e aconselha sobre como ficar em forma independente do tamanho de sua cintura.   

O mito da magreza

Em uma sociedade obcecada com o tamanho do corpo, o foco geralmente é na obesidade e nos perigos à saúde associados com o sobrepeso, diz Sudhir.

“Claramente, o sobrepeso e a obesidade trazem muitos fatores de risco”, diz. “Mas o contrário não é necessariamente verdade. Não podemos simplesmente presumir que porque alguém é magro, é saudável”.

É comum pensarmos que pessoas magras podem comer o que quiser, pois não ganham peso. Não é verdade, diz Sudhir. Todas aquelas comidas gordurosas e lanches ricos em calorias fazem efeito com o tempo. O mesmo ocorre quando se negligencia os exercícios.

“É a lógica, certo? Já sou magro, por que eu deveria me exercitar na academia? ”, ouvimos muitas vezes. “Sou razoavelmente magro, então por que devo evitar alimentos ricos em gordura? ”.

A verdade é que, com o tempo, comer mal e levar uma vida sedentária pode aumentar seu nível de colesterol, prejudicar sua tolerância à glicose e aumentar sua pressão arterial. Pessoas geneticamente suscetíveis, têm uma chance maior de desenvolver estas condições, independentemente do tamanho do corpo, diz Sudhir. A doença cardiovascular, por exemplo, pode ser um dos resultados de ações impensadas sobre o cuidado com a própria saúde.

Outro mito é que o exercício é recomendado apenas para quem tem sobrepeso, diz Sudhir. É claro que a perda de peso é o objetivo de muitos frequentadores de academia, mas o exercício traz benefícios além da eliminação da gordura corporal.

“O exercício faz muitas outras coisas boas pelo corpo, como o controle dos fatores de risco”, diz Sudhir. “É bom para [fortalecer] o sistema musculoesquelético. Reduz os riscos de várias doenças em longo prazo e possui efeitos benéficos no cérebro”.

Tudo em família

Tudo em família

Gordo ou magro, seu histórico familiar tem um impacto significativo em sua saúde no futuro. Existem vários fatores para condições como cardiopatia, diabetes e acidente vascular cerebral (AVC), mas o fator de risco número um é o histórico familiar, diz Sudhir. Não deixe que um tipo físico magro engane você. O tamanho do corpo pode não reduzir seu risco para determinadas doenças se elas estiverem em sua família.

“Por exemplo, se sua mãe teve um ataque cardíaco quando tinha 65 anos e seu pai teve um AVC quando tinha 52, e você está chegando aos 40 e poucos anos, é hora de consultar um médico”, diz Sudhir. “Estes genes tendem a se manifestar nas famílias. Um forte histórico familiar é geralmente um indicativo do risco elevado”. Um exame de saúde pode ajudar a apontar as condições de saúde que marcam seu histórico familiar, diz. Saber de seu passado te dá a chance de ter um acompanhamento correto da saúde o mais cedo possível.

“Isso não significa o fim do mundo”, diz Sudhir. “Significa que você precisa estar ciente de seu risco. A tecnologia e a ciência médicas avançaram. Podemos fazer muito mais a respeito destas doenças.”.

O que torna um corpo saudável?

Comer corretamente é a chave, diz Sudhir. Evitar alimentos gordurosos, ricos em açúcar e processados. Optar, em vez disso, por peixe e frango, frutas e vegetais, grãos integrais como arroz integral, quinoa e castanhas, como nozes ou amêndoas.

Exercitar-se três a quatro vezes por semana, ou mais, se possível, acrescenta. É benéfico misturar treino de cardio com treino de força para um exercício equilibrado. O treino de cardio, como jogging, nadar, correr, dançar, ou até mesmo caminhar, ajuda a promover a saúde do coração e pode manter a pressão arterial e o colesterol sob controle, diz Sudhir.

O treino com peso aumenta a força da parte superior do corpo e mantém os músculos firmes, um determinante importante do quão bem lidamos com o envelhecimento.

“Lembre-se que todo exercício conta”, diz Sudhir. “Sempre que possível, utilize as escadas em vez do elevador. Estacione o carro um pouco mais longe do trabalho para que você caminhe mais. Leve o cachorro para passear à noite”.

Dormir, por exemplo, também é importante para sua saúde como um todo. A falta de repouso pode aumentar seu risco de doença cardiovascular e outras condições de saúde. Portanto, certifique-se de ter um sono adequado todas as noites.

Programe-se para um exame anual com seu médico, mesmo que você se sinta bem. Algumas doenças, como câncer e hipertensão arterial, podem ser silenciosas. Exames físicos regulares podem ajudar seu médico a monitorar sua saúde e identificar um potencial perigo, colocando você no caminho do tratamento, diz Sudhir. Exames anuais se tornam ainda mais vitais conforme nos aproximamos dos 40 anos.

E por fim, invista na felicidade. No mundo de hoje, tendemos a não dar a devida importância à felicidade, mas estar feliz é uma arma importante contra doenças, enfatiza Sudhir. “Pessoas felizes parecem se sair melhor em questão de saúde”, diz. “A felicidade e a risada reduzem o estresse e menos estresse significa pressão arterial mais baixa, melhores níveis de glicose, melhores níveis de colesterol, e assim por diante”.

Quer guardar estas dicas? Faça o download do infográfico clicando aqui.