Meditação antes da corrida: poderoso aliado contra a depressão
 

Meditação antes da corrida: poderoso aliado contra a depressão

Estudo recente mostra que as duas práticas aliadas, uma seguida da outra, podem ajudar no tratamento de depressão severa.

Uma poderosa dupla de hábitos, a meditação seguida da corrida, pode colaborar com o tratamento de depressão severa, segundo mostrou uma pesquisa recente, realizada pela Universidade Rutgers, de New Jersey, nos EUA.

Segundo o estudo, as duas atividades são capazes de, conjuntamente, “atacar” o padrão mental negativo dos depressivos. A depressão é caracterizada em parte pela impossibilidade de afastar os pensamentos infelizes do passado, a chamada ruminação.

Os pesquisadores acreditam que este padrão de pensamento envolva duas áreas do cérebro: o córtex frontal, parte responsável pela concentração e o foco, e pelo hipocampo, que é a parte mais importante para o aprendizado e a memória (estudos já mostraram que pessoas com depressão costumam ter o hipocampo menor que aquelas que não sofrem do problema).

O experimento
Um grupo de 52 homens e mulheres, sendo 22 diagnosticados com depressão severa, foi convidado a meditar da seguinte forma: em um lugar silencioso, eles precisavam apenas prestar atenção às suas respirações, contando dez inspirações e expirações, depois faziam a mesma contagem, mas de maneira regressiva. Se a pessoa  se perdesse em pensamentos ruminantes, ela deveria apenas começar de novo.

A meditação durava 20 minutos. Em seguida, o grupo deveria andar em esteiras ou bicicletas ergométricas por 30 minutos. Estas sessões eram repetidas três vezes por semana. Depois de oito semanas, os pacientes com depressão mostraram-se com muito mais foco e suas células do córtex pré-frontal tinham atividade semelhante às de pessoas sem esta condição.

Entre o grupo saudável, o foco e a concentração também aumentaram e os pesquisados se disseram muito mais felizes que antes do experimento.